sábado, 12 de maio de 2012

AGUARDE



Evoluímos, e agora estamos ainda mais SOCIAL

http://www.agenciar08.com.br/

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Facebook e as marcas em abril

Estas são as as marcas mais atuantes em abril no Facebook junto aos usuários brasileiros:


Fonte: Proxxima.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Facebook pode lançar seu próprio smartphone em breve

Segundo relatórios publicados no site Digitimes, o Facebook estaria desenvolvendo seu próprio modelo de smartphone para ser lançado ainda em 2012. A companhia - que já lançou dois aparelhos em parceria com a HTC que não tiveram o sucesso esperado - teria resolvido criar uma plataforma exclusiva para o telefone interagir com todas as funções disponíveis na rede social.


















O Facebook, porém, nega todas as informações, e diz que não quer licenciar a marca para nenhuma fabricante de celulares; todo produto ligado à marca deles tem capacidade de vender muito.

Além disso, o criador da rede social, Mark Zuckerberg, rechaçou a ideia de criar uma plataforma própria, afirmando que o objetivo da empresa é estar presente em todos os sistemas operacionais existentes, alcançando o maior número de aparelhos possível.

Ainda que as informações tenham sido negadas, é fato que o Facebook não ficou satisfeito com os aparelhos lançados em parceria com a HTC - os chamados Salsa e ChaCha, que contavam com sistema Android mas possuíam um hardware muito ultrapassado -, e poderiam, de fato, apostar na criação de uma linha própria.

Fonte: TechTudo.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Google lança 'Analytics para Gmail'

O Google divulgou sua mais nova ferramenta, o Gmail Meter, uma versão do Analytics que permite ao usuário saber quantos e-mails ele costuma receber, quanto tempo geralmente leva para respondê-los, se as repostas são curtas ou longas e em média quantas palavras usa.















A ferramenta irá contribuir para melhorar a qualidade no atendimento de sua equipe com os clientes. Com o Google Meter poderemos saber quanto tempo um analista leva para responder o e-mail, se eles costumam ser mais objetivos ou tendem a dialogar mais em suas respostas.

Para testar a nova ferramenta, acesse o Google Docs, crie uma nova planilha, clique em Ferramentas, seguido por Script Gallery, em seguida, procure por "Gmail Meter" e clique em Instalar, será necessário que você permita o acesso da ferramenta.



Fonte: AdNews

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Google+ fica mais limpo para enfrentar Facebook

O Google+ recebeu uma repaginada completa na última quarta-feira, 11, que o fez ficar ainda mais parecido com sites como Facebook e Orkut. Os perfis agora têm até uma imagem de capa, nos moldes da adotada pela rede social de Mark Zuckerberg.

Vic Gundotra, vice-presidente sênior da gigante de buscas, anunciou  hoje que mais de 170 milhões de internautas já usam os recursos do Google+; são as pessoas que compartilham vídeos do YouTube, por exemplo, por meio da rede social.

"Essa demanda ultrapassou todas as nossas expectativas, mas não vamos parar por aí, afinal, estamos criando uma experiência social consistente em todo o Google", disse. "Um fator importante dessa experiência é apresentar um design que vá ao encontro de nossas aspirações. Sendo assim, introduzimos hoje uma versão mais funcional e flexível do Google+."


























Os ícones de navegação saíram do topo da página e passaram para o lado esquerdo (como no Facebook), e é possível personalizar tudo tirando ou colocando aplicativos na borda. Ao passar o mouse sobre um deles, o usuário recebe informações adicionais, por exemplo, no app de fotos aparecem opções para adicionar novas imagens, ver as que foram tiradas pelo celular ou então abrir os álbuns.

As postagens receberam mais destaque, com fotos e vídeos maiores em um ambiente limpo, sem margens. "Sabe aquela sensação de quando uma obra de arte deixa você sem fôlego, ou quando um amigo aparece com presentes inesperados? Queremos que o compartilhamento seja assim, sempre", exemplifica Gundotra.

O Hangouts, recurso de conversa em grupo por vídeo, ganhou um espaço melhor, com lista de convites por novos contatos, acesso rápido a todos os hangouts públicos e ativos (ideal para transmissões ao vivo) e um placar rotativo de hangouts populares e dicas.

"A atualização de hoje do Google+ melhora a navegação, o stream, hangouts e muito mais. Adicionamos uma página Explorar, por exemplo, para mostrar o que é interessante e as tendências na rede. E implementaremos um novo perfil e lista de bate-papo para facilitar o uso desses recursos e deixá-los mais atraentes", completa o VP.



Fonte: AdNews

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Sites organizam as ações da sua empresa nas redes sociais

Os dois sites a seguir oferecem uma forma rápida e simples para saber como anda a sua marca nas mídias virtuais. Isso tudo através de gráficos e informações reunidas em uma única página.



O Leftronic é um site que permite visualizar estatísticas de diversos serviços que você utiliza. São muitas ferramentas e o próprio Leftronic disponibiliza um tutorial gratuito logo após a realização do cadastro. Na parte inferior da tela ficam as abas com algumas das principais redes sociais voltadas para a área corporativa, e é aqui neste botão, em "My Custom Data", que você adiciona cada uma delas à sua conta.

A partir daí, é possível visualizar informações detalhadas sobre sua timeline no Twitter, fan pages no Facebook, gráficos e estatísticas do seu site no Google Analytics, entre outros recursos. Aliás, as abas de cada um desses sites podem ser personalizadas de acordo com o que você deseja saber. Dessa forma, fica fácil conhecer um pouco mais sobre o crescimento da sua empresa na internet.

O Ducksboard faz exatamente tudo o que o Leftronic é capaz de fazer. A diferença é que a visualização das abas métricas é mais fácil, em especial pelas páginas das redes sociais, que são bem divididas por tema e função. É neste símbolo de "mais", no topo esquerdo da tela, que você adiciona os widgets à sua homepage, como também realiza pesquisas por novos gadgets ou busca nas categorias e serviços disponíveis.

Após a escolha, todos os widgets ficam visíveis em forma de "pastilhas" na página inicial, assim como no Windows 8. Isso inclui seus seguidores do Twitter, fan pages do Facebook, Foursquare, dados do Google Analytics e muito mais – tudo atualizado em tempo real. Mesmo sendo bastante interativo, vale lembrar que o Ducksboard é gratuito por apenas 30 dias. Se quiser continuar utilizando o serviço após o término da versão demo, você terá que fazer uma assinatura por vinte e nove dólares mensais.

Fonte: Olhar Digital.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Facebook testa nova plataforma para propagandas


O Facebook está mudando o sistema de autogerenciamento através do qual os anunciantes divulgam seus produtos na rede social. Agora, eles poderão escolher que tipo de retorno querem que suas publicidades obtenham.


















Por exemplo, se o objetivo é fazer com que o usuário curta sua página no Facebook, ou que baixe seu novo app, as propagandas serão construídas de forma a incentivar o usuário a realizar tal ação.

A nova especificação da plataforma está apenas em fase de testes e sendo realizada com um número pequeno de anunciantes. Se tudo der certo, o programa será levado adiante. Por enquanto os anunciantes podem apenas optar por escolher em que categoria eles querem que suas propagandas sejam veiculadas.

Fonte: AdNews

sexta-feira, 23 de março de 2012

Um em cada cinco chefes usam Facebook e Twitter como forma de avaliação em entrevistas de emprego

Uma pesquisa realizada pela Eurocom Worldwide e Six Degrees concluiu que um em cada cinco chefes já dispensou candidatos por causa de seus perfis no Facebook e Twitter. Mesmo que a pessoa tenha um excelente currículo, a sua reputação se abala quando os empregados resolvem avaliar o comportamento dos candidatos na Internet.

















No ambiente do Twitter se destacam aqueles que causam influência na rede, ou seja, quando outros usuários retuitam os seus posts ou enviam algum reply. Os critérios de avaliação das redes sociais não envolvem apenas as imagens, as publicações e o perfil em si.

A pesquisa descobriu que no total, 40% dos chefes utilizam as redes sociais como forma de avaliação em entrevistas de emprego. Em entrevista, o diretor de relacionamentos da Eurocom Worldwide, Mads Christensen afirmou que “o homem do século XXI está aprendendo que cada ação deixa um rastro digital permanente”.

Participaram da pesquisa 318 empresas, sendo que 80% são da Europa e 11% das Américas. Segundo a pesquisa, as redes sociais mais utilizadas para avaliar os candidatos são: LinkedIn, Twitter, Facebook e Youtube, com 74%, 67%, 64% e 56%, respectivamente.

Outro dado bastante curioso é que apenas 23% podem medir com precisão o impacto do investimento nas redes sociais nos próximos 12 meses. Além disso, 74% dos empregadores, que responderam a pesquisa, consideram importante as relações públicas na Internet para otimizar sites de busca.

Via TechTudo.

sexta-feira, 16 de março de 2012

8 milhões de empresas já possuem Timeline no Facebook

Em apenas 10 dias, 8 milhões de marcas adotaram o novo formato de página corporativa do Facebook, de acordo com a empresa. Os dados contabilizam empresas que vão de montadoras a bandas de rock - o que inclui a Agência R08.


















A Reuters conversou com alguns executivos, que citaram as novas oportunidades publicitárias como principais ingredientes para a rápida aceitação do recurso.

"Se há uma mensagem específica que queremos transmitir, sabemos que isso garante que ela chegará a eles", disse à agência Steve Baer, diretor de estratégia da Code and Theory, responsável por uma campanha para o refrigerante Dr. Pepper que fazia uso dos novos anúncios do Facebook.

Via AdNews.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Twitter x Facebook

O infográfico Twitter x Facebook compara o uso das duas redes mais acessadas do Brasil.




























































































Fonte: TechTudo.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Vaga para Estágio em Redes Sociais


Agência R08 Marketing Digital abre vaga de Estágio para Redes Sociais.

Requisitos:
- Estar cursando faculdade de Comunicação/ Marketing/ Publicidade e Propaganda ou afins.
- Inglês Intermediário/ avançado
- Residir próximo ou ter fácil acesso à Santo André
- Ter uma boa noção de Redes Sociais: Facebook, Twitter, Youtube, etc
- Ser organizado e proativo
- Ter conhecimento em programas de edição e criação de Imagem será um diferencial
- Horário do Estágio: Segunda à Sexta das 9h às 16h

Enviar CV ou apresentação para rh@agenciar08.com.br até 08/03/2012.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Facebook é usado 135x mais que o Google+

Empresa de pesquisa e marketing online, comScore, divulgou em um relatório a dimensão do domínio do Facebook em relação aos adversários diretos. O infográfico, representado abaixo, mostra o que os usuários de PCs gastam, em média, 405 minutos no Facebook por mês, contra 89 minutos no Tumblr e no Pinterest. Já no Twitter são 21 minutos, 17 minutos no LinkedIn, oito minutos no MySpace e apenas três minutos no Google++. Esses dados foram registrados em janeiro de 2012.


























Se engana quem imagina o Twitter como uma sólida segunda posição entre as redes sociais. Na segunda posição, tem um empate entre o Tumblr e o Pinterest, serviços mais completos que o microblog. O Twitter recebe o terceiro lugar no relatório, seguido pelo LinkedIn, MySpace e Google+.

O relatório, publicado no site do The Wall Street Journal, analisa os dados registrados apenas no acesso pelos navegadores de Internet nos desktops. Vale lembrar que o Twitter é mais utilizado em dispositivos móveis, como celulares, smartphones e tablets, já o Tumblr e o Pinterest estão mais presentes nos desktops.

Outro ponto da pesquisa está ligado ao Google+. No mês passado, o serviço do Google apresentou mais de 90 milhões de novos usuários no mundo. Em um mês, eles conseguiram aproximadamente 10% de todos os 845 milhões do Facebook. Mesmo assim, os usuários passam pouco tempo no serviço.

Vale ressaltar que o Google conta como usuário do Google+ aquele que se cadastrou no serviço. Já no Facebook, o processo é diferente. Será um usuário ativo quem visitar a página pelo menos uma vez a cada 30 dias. A conclusão é que o número do Google+ deve ser muito baixo, se considerado o relatório da comScore. A pesquisa mostra que, mesmo com uma perspectiva de crescimento para o Google+, ele não significa uma ameaça para o Facebook a médio prazo.

Fonte: TechTudo

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Twitter cria serviço de anúncios para pequenas empresas

Pequenas empresas também podem utilizar o Twitter para fazer anúncios. O microblog lançou inicialmente o serviço para usuários do American Express nesta quinta-feira, 16. Clientes de outros cartões podem utilizar os serviços para os próximos meses.




















A American Express vai dar US $ 100 em publicidade gratuita para as primeiras 10 mil pessoas que se encaixam no perfil e se registrarem, segundo a rede social. Os interessados devem acessar a página e fazer o cadastro.

Fonte: AdNews

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Vagas na Agência R08

A Agência R08 tem vagas de estágio para contratação imediata.

Os Interessados deverão enviar CV para rh@agenciar08.com.br

Vaga: Estágio para a área de marketing e vendas

Cidade:  Santo André - SP

Descrição:  Atuar com atendimento aos clientes, negociações, emissão de propostas, visitação para demonstração de serviços web

Exigências:
- Cursando 1º ano ou 2º ano de Publicidade e Propaganda, Administração ou Marketing
- Conhecimentos em pacote Office
- Grande familiaridade com internet

Faixa salarial / Benefícios: A Combinar

Área(s) de atuação: Marketing e Vendas


Sobre a Agência R08: A Agência R08 é especializada em gerenciar Redes Sociais com foco em representação, monitoramento e elaboração de ações promocionais.

Usuários poderão acessar Twitter através de mensagens SMS

Depois de fechar acordos com operadoras de satélites e de telecomunicações de mais de 80 países, o Twitter permitirá que os usuários recebam e enviem tweets pelo telefone celular com mensagens SMS.

'Iniciamos esta funcionalidade com SMS porque reconhecemos a importância e o valor de tornar nosso serviço acessível a qualquer pessoa do planeta. Não importa que aparelho seja utilizado - desde o último smartphone até o modelo mais convencional -, todos serão capazes de enviar e ler seus tweets', explicou a companhia em seu blog oficial.




















Operadoras de telecomunicações de mais de 80 países concordaram em dar suporte para esta iniciativa do Twitter, incluindo as da Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, México, Venezuela, Paraguai, Nicarágua, Honduras, Haiti, Guatemala e El Salvador.

A companhia indicou que também fechou um acordo com as operadoras de satélite Iridium e Thuraya para que seus usuários possam acessar o serviço de SMS.

Aqueles usuários que não possuem acesso a essas operadoras de telecomunicações e satélites, o Twitter disponibilizará um código numérico internacional.

Com o auxilio desse código, as pessoas conseguirão enviar seus tweets normalmente, mas não recebê-los.

A rede de microblogging apresenta essa novidade aos seus usuários somente duas semanas depois de ter anunciado a decisão de poder bloquear conteúdos em determinados países quando 'entidades autorizadas' solicitarem.

Fonte: Revista Exame

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Orkut adota o uso da hashtag

De acordo com o blog oficial do Orkut, a partir desta terça-feira, 7, o usuário poderá fazer o uso da hashtag, símbolo popular no Twitter, através da qual ele poderá procurar os assuntos principais e mais comentados nas comunidades.











A ferramenta foi desenvolvida pelos engenheiros do Google e permite que o usuário realize buscas mais facilmente e de uma forma mais aprofundada. As palavras com o símbolo “#” serão destacadas automaticamente e só será preciso clicar no link para realizar a busca.

“Por enquanto, novas hashtags demoram cerca de um dia para aparecer nos resultados das buscas. Conforme novidades apareçam informaremos você por aqui.”, afirmou Marco Wisniewski, engenheiro do Google.

Fonte: AdNews.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Facebook fecha 2011 com US$ 3,8 bilhões em receita publicitária

O Facebook está em alta... literalmente. A empresa Nanigans, especializada em mercado de anúncios do Facebook, liberou alguns dados que mostram grande aumento no custo por clique (CPC) e grande receita publicitária em 2011: US$3,8 bilhões (cerca de R$6,4 bi).

















A empresa eMarketer Inc, companhia de pesquisas de mercado, mostrou que, em 2009, o lucro com anúncios era de apenas US$738 milhões (cerca de R$1,2 bi), pouco se comparado à receita de 2011. Além disso, só em 2011, os créditos do Facebook geraram US$4,27 bilhões (cerca de R$7,2 bi), se transformando em uma importante fonte de lucro e tornando a estratégia de anúncios da empresa um sucesso, segundo Sheryl Sandberg, analista de crédito da companhia.

O IPO, ou "oferta pública inicial", em português, que significa a primeira venda de ações de uma empresa privada ao público, só acontecerá em maio. Por enquanto, então, o Facebook continua sendo uma empresa privada.

Fonte: Olhar Digital

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Será 2012 o ano dos negócios sociais?


Quais páginas de empresas você curte no Facebook? Que perfis oficiais você segue no Twitter ou acompanha postagens no Google+? Quando as redes sociais começaram a se popularizar, as grandes empresas perceberam que, para um melhor relacionamento com o seu público alvo, seria necessário estudar uma forma dinâmica para entrar nas redes sociais. Isso levou à popularização de um novo modelo de negócios - o social business.

Ao contrário do que muita gente pensa, o conceito de negócios sociais não é tão novo. Na verdade, as empresas estudam formas de se relacionar com seus clientes de forma direta há exatas três décadas. E, de lá para cá, muita coisa evoluiu. O grupo Global Dawn pesquisou e elaborou um infográfico detalhado, mostrando como essa linha de raciocínio corporativo foi mudando e se adaptando com o passar dos anos:




























































































Como o infográfico mostra, o ramo tecnológico começou a se "socializar" com a incursão do software livre, na década de 1980. Desde então, diversas soluções foram implementadas para variadas necessidades, como o compartilhamento peer-to-peer e o licenciamento Creative Commons de propriedade intelectual.

Mais ou menos na mesma época, o marketing começou a atacar mídias sociais e criar programas
de fidelidade, ao passo que os ecossistemas móveis começam a ser criados para abarcar todas essas ideias.

Tudo o que nos é rotina hoje: AppStore, jogos online, marketing digital, é derivativo dessas inovações listadas na imagem acima.

Fonte: Olhar Digital.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

YouTube exibirá miniaturas de vídeos


O YouTube pode estar prestes a estrear um recurso pelo qual os internautas poderão visualizar pequenos quadros de um vídeo durante sua exibição.















“O YouTube irá gerar um grande Storyboard de 100 miniaturas por vídeo e as imagens são dispostas em uma grade de 10×10", afirmou Amit Agarwal, do Digital Inspirations, quem descobriu a novidade.

"À medida que você move o mouse para diferentes pontos no player de vídeo, rapidamente agarra a miniatura correspondente a posição do storyboard.”

Fonte: AdNews

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Brasil cresceu 298% no Facebook em 2011

Números divulgados na semana passada revelaram que o Brasil foi o país que mais cresceu em quantidade de usuários no Facebook em 2011. Segundo dados publicados pelo analista Nick Burcher, durante o último ano, o país passou a marca dos 35 milhões de usuários, o que representa um crescimento de 298%.
















Ainda de acordo com o analista, o ano de 2011 começou com mais de 8,8 milhões de brasileiros registrados na rede social. O grande salto no número de usuários - que quase quadruplicou ao longo dos últimos 12 meses - se deve basicamente ao declínio do principal concorrente do Facebook no país, o Orkut.

O Brasil também alcançou uma posição de destaque entre os países onde a rede social criada por Mark Zuckerberg figura entre as mais populares. Estamos atrás apenas dos Estados Unidos, com 157 milhões de usuários registrados, Indonésia, com 41,7 milhões, e Índia, com 41,3 milhões.

Em geral, todos os países analisados no estudo cresceram durante o último ano, com exceção do Canadá, que registrou uma leve queda de 1%. Além do Brasil, outros países que tiveram um aumento expressivo no número de usuários foram Índia (139,5%), Coreia do Sul (116,5%) e Peru (102,8%).

O relatório completo pode ser acessado aqui.

Fonte: TechTudo

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Facebook tem novo sistema de propaganda

Usuários do Facebook podem endossar propagandas inconscientemente no novo sistema de patrocínio da rede social. Agora o Facebook vai permitir que atualizações no feed de notícias carreguem mensagens de seus patrocinadores. O novo sistema começa no Ano Novo e é chamado de "histórias patrocinadas". As atualizações poderão ser vistas no feed de notícias de amigos dos usuários. No momento, se você curte um produto, isso nem sempre vai aparecer nas suas atualizações, mas isso vai mudar.
















O novo sistema vai mostrar a sua foto de perfil aos seus amigos e o produto que você "endorsa" ocupando um espaço maior na tela das suas atualizações. O site admite que essa mudança foi pensada para trazer mais receita de anunciantes. O esquema procura resgatar o US$1 bilhão gasto por ano no desenvolvimento do site. O Facebook garante que essas atualizações estarão marcadas como "Patrocinadas" e acredita que, assim, as propagandas serão menos invasivas.

Se um usuário "curtir" um produto, esse status ficará visível em suas atualizações e na sua Linha do Tempo do perfil. Assim, o Facebook poderá cobrar mais de seus anunciantes. Muitos usuários, no entanto, não gostaram do novo sistema e sentem que a rede social está se apossando demais de dados pessoais dos seus mais de 800 milhões de membros. Usuários americanos chegaram a lançar uma ação legal contra o uso comercial do botão "curtir". Sobre isso o Facebook respondeu em um e-mail formal: “Estamos revendo a decisão e continuamos acreditando que o caso não tem mérito”.

Fonte: TechTudo

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

As marcas brasileiras que mais investem nas redes sociais


A Miti Inteligência divulgou um levantamento sobre a atuação dos 30 maiores anunciantes do país nas redes sociais. O estudo traz dados como quem tem mais seguidores no Twitter ou escreve mais da rede de microblogs, além de quem faz mais sucesso no Facebook, Orkut e LinkedIn.




















A união entre marca e celebridade deu muito certo para a Claro, que desde maio de 2010 mantém parceria com Ronaldo "Fenômeno" no Twitter. Quando o ex-jogador assumiu, o perfil da operadora tinha 33 mil seguidores; hoje, são 2,6 milhões, o que a coloca bem distante da segunda marca da lista.

Quem ocupa a posição é a Vivo, que tem apenas 287,4 mil followers. Depois aparecem Tim (185,6 mil), Sky (51 mil), Net (30,1 mil), Fiat (23,8 mil), Bradesco (21,6 mil), Itaú (20 mil), Oi (17,7 mil) e Volkswagen (14,2 mil).

Por mais que seja campeã nesse quesito, a Claro (e Ronaldo) é apenas a nona quando o assunto é quantidade de postagens na rede, com 4,5 mil tweets já enviados. A Sky é quem aparece na frente, com 39,2 mil.

Na sequência vem Banco do Brasil (36 mil), Vivo (11,6 mil), Oi (9,9 mil), Tim (5,6 mil), Fiat (5,6 mil), Reckitt Benckiser (4,6 mil), Ambev (4,6 mil), Claro e Net (4,4 mil).

Facebook, Orkut e LinkedIn

Na maior rede social do mundo, quem manda é a Coca-Cola, pelo menos entre os maiores anunciantes brasileiros. Só que a multinacional de bebidas tem como estratégia manter um perfil único no site, em todos os mercados em que atua.

Isso fez com que a marca conseguisse 36,3 milhões de "Likes", o que representa a quantidade de pessoas que interagem com ela por ali.

Há uma discrepância enorme em relação ao Itaú, segundo colocado com 532,7 mil. Nestlé (280 mil), Unilever (220,4 mil), Volks (203,4 mil), Claro (200 mil), Vivo (153,6 mil), Fiat (91,8 mil), Ford (71,9 mil) e Sky (70 mil) vêm depois.

Das 30 marcas analisadas pela Miti, apenas cinco mantêm comunidades oficiais no Orkut. A Coca-Cola, mais uma vez, aparece com um destaque bem acima das outras: são 1,1 milhão de membros. Então vem Casas Bahia (26,6 mil), Sky (26,4 mil), Claro (13,2 mil) e Net (7,2 mil).

Os mais de 135 milhões de usuários do LinkedIn têm preferência pela HP, já que a marca conta com 435,8 milhões de seguidores. Na sequência: P&G (144,1 mil), Unilever (135,5 mil), GM (78 mil), Ford (74,2 mil), L'Óreal (57,5 mil), Bradesco (15,1 mil), Ambev (14,5 mil), Vivo (14,2 mil) e Itaú (14,1 mil).

De fora

Somente o Bradesco possui conta oficial no novato Google+, embora a Coca-Cola, a Ford e a HP mantenham perfis corporativos mundiais no canal.

As empresas ainda não exploram Flickr, Vimeo, Foursquare, Instagram e blogs da mesma forma que atuam em Twitter e Facebook. O Flickr, por exemplo, rede para compartilhamento de fotos, é utilizado apenas pela Ambev e Coca-cola, dentre os 30 maiores anunciantes.

Vimeo e Foursquare ainda não são utilizadas por nenhuma das empresas listadas no ranking e a postagem de informações em blogs ocorre apenas com as marcas Vivo, Claro e L'Óreal.

Fonte: AdNews

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Twitter recebe investimento de US$ 300 milhões

O príncipe saudita e bilionário Alwaleed bin Talal disse nesta segunda-feira que sua empresa irá investir US$ 300 milhões no Twitter. O investimento será feito através da Kingdom Holding Company (KHC), empresa de Alwaleed, e representa o interesse do príncipe de apostar em "companhias promissoras, de alto crescimento e grande impacto global" segundo a AP.


O Twitter, que permite ao usuário postar mensagens de até 140 caracteres, tem sido apontado como fundamental em manifestações, tais quais as que originaram a chamada Primavera Árabe neste ano.
A KHC de Alwaleed é uma das principais acionistas do Citigroup e detém participações em outras grandes empresas, como a Apple e a News Corporation de Rupert Murdoch.




adaptado de: terra.com.br

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Google lança comercial do Google+ no Brasil

É provável que você já conheça o Google+ +, a rede social do Google. Seu principal enfoque é oferecer um meio de compartilhamento segmentado na proposta de que nossos contatos podem ser fechados em círculos de interesse.



















O Google vem investindo pesado na sua nova rede social. Além dos diversos "hangouts" com Marcelo Tas e Danilo Gentili, Marisa Monte, PVC e Benja, Teco Padaratz, Maria Paula e Hélio de la Peña e Cid Não Salvo, agora lançou comerciais mostrando histórias "reais" de personagens dentro da rede.

O Google+ possui uma proposta interessante que torna muito mais intuitiva a forma como compartilhamos com nossos círculos de amigos, família e profissionais. Para explicar como a rede funciona, a Google começou a divulgar novos comerciais. Veja abaixo. 







Via TechTudo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Nova métrica do Facebook vai trazer feedbacks negativos


O Facebook está desenvolvendo uma nova métrica de análise de comportamento de usuários dentro do Facebook Insights. A novidade do sistema, agora, é a análise de feedbacks negativos sobre os posts publicados nas paginas da rede social.

















Quem informa a novidade é Steve Allard, do site Wise Metrics, que diz que com o novo recurso, os administradores de páginas do Facebook poderão acessar um recurso chamado “engaged users” (algo como “usuários envolvidos”) nos posts publicados na sua página da rede social, e consultar quantos usuários ocultaram essas postagens de suas respectivas timelines, ou até mesmo quantos deram um feedback negativo nas notícias que você publicou.

Essa é uma ferramenta importantíssima para aqueles que usam o Facebook para divulgação de conteúdo. Com esses dados, os responsáveis pelo gerenciamento de informações em mídias sociais não só poderão analisar o nível de aprovação de um conteúdo entre os usuários, mas também adicionar em suas estatísticas o índice de rejeição desse mesmo conteúdo, que é algo igualmente relevante para análise do conteúdo publicado. Isso certamente vai trazer algumas mudanças de comportamento entre aqueles que fazem divulgação no Facebook, tendendo a definir um critério mais cuidadoso para a publicação de conteúdos relevantes e interessantes para os usuários.

A nova métrica está em fase de testes e nem todos os administradores de páginas terão acesso ao recurso. A tendência é que a ferramenta esteja disponível para todos os usuários com o passar do tempo, apesar do Facebook não ter dado nenhuma previsão de quando isso pode acontecer. Para Steve Allard, a nova ferramenta de feedbacks negativos é extremamente útil, justamente por motivar as mudanças positivas dos conteúdos publicados.

Fonte: TechTudo

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

79% dos internautas brasileiros estão nas redes sociais


Em meio a um universo de 35 milhões de internautas brasileiros, 79% são cadastrados e ativos em redes sociais. Pelo menos foi o que revelou uma pesquisa realizada pela grupo TG.net, do IBOPE. Segundo o estudo, os usuários têm idades variadas e são oriundos de todas as classes sociais.



Os sites de música são os mais visitados pelos membros das redes de relacionamento. No entanto, as preferências variam, segundo informou o IBOPE, conforme a faixa etária.
Usários de 15 a 24 anos acessam mais páginas com conteúdos sobre músicas, filmes e jogos, enquanto os com idade de 25 a 44 anos dão preferência a sites de comparação de preço, música e jornais nacionais. Os internautas com mais de 45 anos basicamente acessam páginas de jornais nacionais/locais e comparação de preços.

A pesquisa ainda revelou que, entre as diversas plataformas de acesso à Internet, a maioria dos internautas se conecta através de aparelhos desktop/laptop (88%). 10% dos usuários acessam via smartphone (BlackBerry/ iPhone); 9% pelo celular; 3% por consoles de videogame e 2% via tablets.
O levantamento, que entrevistou 2.900 internautas de 15 a 75 anos, foi realizado entre maio e junho de 2011. As pesquisas foram feitas nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Goiânia e no Distrito Federal.

Fonte: TechTudo e IBOPE.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Tráfego do Google+ aumenta e usuários passam mais tempo no site


Rede social alcançou terceira maior semana em audiência e número de pessoas que retornam ao serviço também cresce.


















A nova rede social do Google teve um aumento de tráfego significativo, alcançando a terceira maior semana em número de semanas desde o lançamento do site em junho, de acordo com o Experian Hitwise.

O Google+ teve mais de 6.8 milhões de visitas oriundas dos EUA na semana que terminou no dia 12/11, um aumento de 5% comparado ao período anterior, e 25% a mais em relação ao mês de outubro, apontou a Hitwise. “Isso mostra que o Google+ está começando a se tornar popular” afirmou Zeus Kerravala, analista da ZK. “Penso que o Facebook se tornou tão grande e que pessoas muitas irritadas pelos problemas de segurança estão começando a procurar uma alternativa”.

Agora que a rede social da gigante das buscas tem mais de 40 milhões de usuários, as pessoas estão encontrando mais amigos e colegas no site do que quando o serviço foi lançando no meio do ano. “O número é ainda muito distante dos 800 milhões do Facebook, mas ainda assim é uma quantia expressiva. É grande o suficiente para, ao entrar no Google+, o usuário encontrar pessoas lá dentro” continuou Kerravala.

A Hitwise levantou também que o números de visitantes que retornam ao site também tem crescido. A média nas primeiras duas semanas de novembro, comparada ao índice de outubro, saltou 18% e, na semana do dia 12/11, 74% do tráfego do Google+ era composto de pessoas que estavam retornando à rede social. Outro dado sublinhado pela empresa é que os usuários do Google+ tem passado mais tempo no site, aumentando em 15% em outubro, em comparação ao mês anterior.

Na última quarta-feira (16/11), o Google lançou o Google Music e imediatamente integrou o serviço à rede social, para que os usuários pudessem compartilhar músicas gratuitamente com seus amigos em seus Círculos. Esse tipo de integração também faz com que os usuário retornem mais rapidamente e passem mais tempo na rede social. “Quando mais pessoas entrarem para o Google+, mais sólido ele se torna” adicionou Kerravala.

Fonte: IDG Now!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Conheça 10 boas práticas para a propaganda digital


O Interactive Advertising Bureal (IAB Brasil) – por meio do seu Comitê de Agências – anuncia ao mercado publicitário as "10 Boas Práticas entre Clientes e Agências de Comunicação Digital" para melhorar cada vez mais o relacionamento entre esses dois universos. As práticas são resultado de uma série de discussões entre os membros do grupo, composto atualmente por 56 agências de todo o país durante o ano de 2011.



















As “regras de ouro” abordam temas como definição do budget, delimitação do público-alvo, respeito a prazos e integração com demais iniciativas de comunicação. “Trata-se de uma visão 360º sobre as atividades que envolvem empresas e suas agências, visando alcançar um relacionamento transparente e cada vez mais maduro”, avaliam o diretor executivo do IAB Brasil, Ari Meneghini e Paulo Loeb, presidente do comitê.

A seguir, a lista de Boas Práticas:

1. Deixar claro qual é a verba disponível. Lembre-se: caso sua empresa invista menos de 10% do budget de comunicação em mídia online, vocês estão abaixo da média nacional. Além deste investimento não se esqueça dos custos associados à produção de sites e manutenções mensais, presença em redes sociais, produção de peças de mídia e vídeos, por exemplo. Uma boa prática: ao iniciar um projeto é importante informar à agência a ordem de grandeza. Esse valor, mesmo que aproximado, é o campo por onde a agência irá trabalhar de acordo com a verba disponível. Não dá para pensar um grande projeto com uma verba pequena.

2. Identificar claramente qual é o público-alvo. H/M, 20-30, AB já não é mais suficiente para definir o target. Quanto mais informação comportamental, melhor. Uma boa prática: comprar pesquisas (ou se associar ao CENP e receber a camada básica de dados que o IBOPE disponibiliza) e/ou consultar fontes de pesquisas comportamentais disponibilizadas por alguns institutos e também disponíveis na web

3. Definir claramente os objetivos de negócios. Por exemplo: aumento de vendas em x% em uma região específica, melhorar imagem dentro de um público específico, superar a concorrência em algum critério. Recomendamos que esses objetivos sejam discutidos e aceitos entre as partes. Uma boa prática: que o anunciante divida com seu fornecedor digital quais são os movimentos que ele está fazendo em outras frentes para que consigam ter a real dimensão do seu papel e responsabilidade para atingir tais objetivos.

4. Definir indicadores de sucesso. Quanto mais relacionado ao objetivo de negócio, melhor. Sugerimos observar não somente as métricas digitais (fãs no Facebook, seguidores no Twitter, visitas no site,tempo médio de navegação), como também indicadores de saúde de marca (um instituto de pesquisa pode contribuir) e, se possível, vendas. Uma boa prática: avaliar previamente quais são os conhecimentos e  ferramentas que o cliente dispõe para definir quaisquer indicadores de sucesso.

5. Respeitar prazo adequado para o desenvolvimento do trabalho. Os trabalhos variam em forma e complexidade, porém recomendamos bom senso na definição do prazo. Sugerimos agência e cliente terem claros os processos, profissionais e recursos necessários ao desenvolvimento do projeto. Uma boa prática: visibilidade de cronograma completo com principais datas e tarefas predecessoras e antecessoras, ajuda e muito no entendimento, como também a relação clara entre escopo e equipe alocada no projeto.

6. Identificar se há integração com outras iniciativas de comunicação. Muitas vezes várias agências trabalham em conjunto com um mesmo cliente. Recomendamos fortemente reuniões presenciais entre elas e o cliente buscando transparência e sinergia de ações, sempre sob coordenação direta do anunciante como hub do processo.  Uma boa prática: estabelecer reuniões periódicas para trabalho do dia a dia com troca de experiências, conhecimento e trabalhos futuros

7. Dividir histórico de resultados anteriores. Aprendizados do que funcionou (ou não) no passado encurta o caminho para o sucesso.  Uma boa prática:  ao mostrar tal histórico, apontar os motivos de ter dado certo ou de ter dado errado.

8. Considerar divulgação do que será criado. Considere fortemente a compra de mídia online para direcionar as visitas para um novo site, divulgação de vídeo ou buscar relevância nas redes sociais. Os mesmos atributos/KPI's de planejamento de mídia tradicional (alcance, frequência, cobertura, visibilidade) também se aplicam em mídia digital. Porém, temos ainda novos KPI's específicos no digital (além dos já tradicionais taxa de cliques e impressões agora temos os “likes”, as menções, sentimentos positivos ou negativos, por exemplo). Uma boa prática: usar mídia comprada para ampliar rapidamente a visibilidade dos conteúdo produzidos para web. Aproveite a grande gama de veículos no meio digital.

9. Não “juniorize” as atividades digitais. Profissionais sêniores e tomadores de decisão precisam se envolver no processo para garantir visão estratégica e consistência de resultados. Essas pessoas precisam estar presentes em momentos de decisão. Uma boa prática: profissionais podem ser especializados em web. Porém se tiverem visão do todo, certamente serão mais completos e preparados para cargos maiores. Um programa sistemático de capacitação e treinamento destes profissionais digitais em comunicação, gestão e marketing como um todo só tende a fazer bem para as empresas.

10. Sugira a sua boa prática.

Fonte: AdNews

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Google+ cria seu próprio Trending Topics


O Google+ anunciou na última quinta-feira mais novidades para a sua recém-lançada rede social Google+, como forma de não perder toda a atenção conquistada nos últimos meses. Algumas delas, como o “What’s hot”, foram certamente inspiradas em funcionalidades de redes sociais como o Twitter, mas outras são únicas e bem interessantes, como o Google+ Ripples.















What’s hot é a versão do Google para os Trending Topics do Twitter. Nesse campo, que é exibido abaixo do stream central, serão mostrados alguns dos posts que estão sendo mais compartilhados no Google+, variando sempre. Também é possível ver um stream dedicado a esses posts clicando em “What’s hot” na barra lateral.

Já por meio dos chamados Ripples será possível para um usuário ver a sequência de compartilhamento de um post seu no Google+. O termo foi derivado da expressão “ripple effect”, que em bom português quer dizer “efeito cascata”. Ele mostra graficamente e em tempo real quantas pessoas estão compartilhando determinado post, além de exibir também uma linha do tempo que mostra os compartilhamentos à medida que foram acontecendo. Para acessá-lo basta ir na seta superior à direita de um post e clicar em “View Ripples”.

Aliado aos dois, o Google também lançou uma nova ferramenta chamada Creative Kit, que permite que membros do Google+ editem fotos direto no site, colocando filtros, legendas ou efeitos sobre elas.

Além disso o Google também anunciou que usuários do Google Apps para domínios próprios poderão acessar o Google+. A empresa avisa, no entanto, que por causa da estrutura do serviço, um administrador do Google Apps poderá modificar e acessar dados do Google+ como bem entender.

Fonte: TechTudo

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Vagas na Agência R08

A Agência R08 tem vagas para contratação imediata de vendedores externos.

Os Interessados deverão enviar CV para rh@agenciar08.com.br.

Vaga: Vendedor Externo (4 vagas)

Cidade:  Santo André - SP

Descrição: Vendas externas e visitação para demonstração de serviços web (Redes Sociais, Links Patrocinados e SEO).

Exigências:
- 2º Grau completo
- Possuir moto ou carro próprio
- Vivência no ramo de vendas de serviços web
- Conhecimentos em pacote Office
- Grande familiaridade com internet.

Faixa salarial / Benefícios: A Combinar

Área(s) de atuação: Comercial e Vendas

Sobre a Agência R08: A Agência R08 é especializada em gerenciar Redes Sociais com foco em representação, monitoramento e elaboração de ações promocionais.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

A maioria dos executivos não sabe lidar com os consumidores digitais


A maioria de altos executivos da indústria de mídia e entretenimento no mundo (91%) não aproveita as informações individuais do consumidor para viabilizar a entrega de conteúdos personalizados. Isso dificulta o aproveitamento de oportunidades para o crescimento das receitas, que pode ser potencializado pelas tecnologias digitais da atualidade, de acordo com uma recente pesquisa da Accenture.















O estudo, intitulado Reshaping the business for sustainable digital growth, também revelou que 95% dos executivos não possuem fortes capacidades digitais para gerenciamento do relacionamento com o consumidor e mais da metade dos respondentes (58%) ainda está no estágio inicial do desenvolvimento dessas capacidades. A pesquisa levantou opiniões de 130 executivos seniores em 18 países da Europa, América do Norte, América do Sul e Ásia, com o objetivo de identificar as características que serão requeridas das empresas de mídia e entretenimento de alta performance, incluindo televisão, jogos, filmes, música, editoras, portais e publicidade.

Novos perfis


Menos de 10% dos executivos afirmaram ter em suas empresas uma visão totalmente integrada dos consumidores digitais. Isso sugere que uma vasta maioria (91%) dos players dessa indústria precisará considerar uma mudança em suas formas de fazer negócios se quiserem aumentar suas receitas no cenário digital da atualidade.

Também é interessante apontar que depois de cinco anos de pesquisas frequentes da Accenture com essa indústria, o ultimo levantamento demonstrou que apenas 57% dos executivos apontaram progresso contínuo em suas empresas na jornada do analógico para o digital.

Na realidade, apenas 43% dos executivos consultados afirmam que suas empresas já digitalizaram mais da metade de suas informações. Há um ano, a mesma pesquisa da Accenture revelou que um terço (33%) das empresas estavam transferindo seus negócios de modelos analógicos para digitais, com uma base de arquivos integrada.

“Apesar de algumas empresas terem progredido no objetivo de distribuir conteúdos por qualquer canal, em qualquer formato e para qualquer aparelho, a maioria ainda precisa formar uma visão holística de seu consumidor digital para que possa monetizar seus conteúdos”, disse Marcelo Fortes, líder da área de Mídia e Telecomunicações da Accenture.

De fato, 80% dos entrevistados afirmam que a indústria de mídia e entretenimento ainda está se modificando e novas e mais rápidas mudanças ainda estão por vir. Como resultado disso, 85% dos executivos acreditam que seus negócios continuarão a mudar significativamente.

Mídias sociais


Quando perguntados sobre as implicações das mídias sociais em seus negócios, mais da metade dos executivos (55%) indicaram que suas empresas tinham definido estratégias claras de networking. Trinta e oito por cento dos executivos disseram usar as redes sociais para ganhar intimidade com o consumidor enquanto apenas 17% indicaram que o recurso é empregado para ampliar vendas.

“O crescimento das receitas nesse novo mundo multiplataforma depende do atendimento personalizado, do conteúdo dirigido pelo consumidor através da plataforma correta. Essa mudança de foco de um público de massa para um público individualizado requer uma mudança complexa da mídia de massa para tecnologia de massa”, completa Fortes.

Fonte: AdNews

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Ainda longe do Facebook, Google+ investe na integração de serviços


CEO afirma que empresa quer "transformar a experiência geral" com a nova rede social, que tem 40 milhões de usuários, ante 800 milhões da rival.

















O CEO e cofundador da Google, Larry Page, deixou claro na última quinta-feira, 13/10, as altas expectativas que a companhia tem com sua nova rede social, o Google+.

Durante uma conferência de imprensa realizada para divulgar os resultados financeiros da empresa no 3º trimestre, Page destacou o efeito significativo que ele prevê que o Google+ terá sobre as empresas.

“Nossa principal ambição é transformar a experiência geral da Google – tornando-a lindamente simples, quase 'automágica', porque entendemos o que você quer e podemos entregar isso instantaneamente”, disse.

“Isso significa criar uma identidade e compartilhá-la em todos os nossos produtos para que possamos construir uma relação de verdade com nossos usuários. Compartilhar na web será como compartilhar na vida real em todas as suas coisas. Você terá resultados de buscas e anúncios melhores e mais relevantes”, completou.

Apesar de ter ficado claro desde seu lançamento em junho que o Google+ é uma iniciativa chave da empresa, os comentários de Page não deixam dúvida de que muito está sendo feito em busca do sucesso do serviço.

“Pense desta maneira: no último trimestre, nós lançamos a ‘Mais(+)’, e agora vamos lançar a parte ‘Google’”, disse.

É claro que agora vem a parte difícil: desenvolver essa rede de uma maneira que leve o serviço a alcançar uma massa crítica de usuários e torne-o um rival de verdade para o líder Facebook.

Apesar de Page ter expressado muita animação na quinta-feira com o fato de a Google+ ter alcançado a marca de 40 milhões de usuários, o sucesso ainda está muito longe de acontecer.

Afinal de contas, o Facebook possui mais de 800 milhões de usuários atualmente, e não dá sinais de diminuir seu crescimento – pelo contrário. Desde o lançamento do Google+, o Facebook tem lançado melhorias e novos recursos de maneira agressiva.

Alguns analistas de mercado apontaram que o Google+ precisa de recursos que ofereçam uma diferenciação do Facebook, como uma funcionalidade única que seja atraente o bastante para torná-la a rede social preferida de milhões de pessoas.

Vale lembrar que nesta semana um engenheiro da Google chamado Steve Yegge causou polêmica ao publicar por engano um post no Google+ chamando a rede social da gigante de buscas de “um pensamento atrasado e patético”.

A consultoria Chitika recentemente publicou resultados de um estudo que revelou que o tráfego do Google+ está em queda.

Fonte: IDGNow!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Novo Facebook: a importância para os comerciantes locais

As mudanças no Facebook, anunciadas recentemente, vão transformar o conceito atual de rede social. Isso quer dizer que, vão ampliar significativamente a interação do usuário com a rede. No topo dessas mudanças, os empresários locais - que mantêm negócios restritos a cidades e precisam fazer marketing via rede - vão ganhar espaço. E muito.



















Com o GraphRank, o Facebook vai priorizar as mensagens que causem maior interação, como comentários, por exemplo. O novo feed vai selecionar as notícias que mais interessam ao usuário e colocá-las no topo do mural. Mark Tonkelowitz, gerente de engenharia do Facebook já fala em “jornal pessoal”. Nesse caso, o mural seria a primeira página e as marcas que desenvolverem mais contato com os usuários vão sair na frente. Pequenos negócios podem começar a preparar estratégias, com abordagens que gerem interesse no usuário e, assim, conseguir visibilidade.

A maioria dos esforços de marketing no Facebook está voltada para conseguir fãs, através do feed de notícias. Além disso, é muito mais relevante para um internauta se envolver em comentários e posts referentes à sua localidade, do que a multinacionais, por exemplo.

A maior relevância faz crescer a possibilidade de envolvimento. No caso dos comerciantes e empresários locais, este é o maior ponto do novo conceito do Facebook: deixar usuários mais envolvidos com empresas de sua região.

O novo feed de notícias; o menu “novidades”, que mostra, em tempo real, as atualizações dos amigos e a nova timeline, responsável por apresentar uma síntese de toda a vida do dono do perfil, deixarão os 800 milhões de usuários do Facebook cada vez mais ‘presos’ e ligados a tudo o que for postado na rede.

Se souberem treinar suas equipes de comunicação, essa será uma oportunidade legítima para os empresários locais estabelecerem um contato mais intenso com seu público.

Fonte: TechTudo

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Google+ já tem previsão de lançamento da versão corporativa da rede social


Assim que o Google+ + foi lançado, começou a corrida em busca de convites por parte dos usuários. Porém, no mundo corporativo, a nova rede social do Google também chamou a atenção e algumas empresas começaram a criar perfis dentro da rede.





Porém, alguns dias depois o Google anunciou que fecharia contas de empresas, pois iria liberar a criação de perfis empresariais no Google+, assim como o Facebook oferece as fanpages. O tempo passou, passou e, até o momento, nada de Google+ para empresas.

Entretanto, a espera parece estar acabando, pois é o que afirma o Diretor da Google na Nova Zelândia e Austrália, Nick Leeder. Segundo Leeder, o Google+ Corporativo será lançado em 2012, mas sem data prevista.

O uso corporativo do Google+ pode ir muito além do marketing nas redes sociais. O Google+ pode servir como uma plataforma de comunicação entre funcionários, tendo em vista que oferece o recurso Hangout e cículos, que podem agregar funcionários de determinado setor ou unidade.

Fonte: TechTudo

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Twitter terá propaganda política

Como se não bastasse preencher um espaço obrigatório na televisão, o horário político eleitoral vai chegar ao Twitter. A empresa anunciou nesta quarta-feira que aceitará veicular tweets pagos de candidatos políticos, mirando principalmente as eleições presidenciais norte-americanas de 2012, na quantidade de propaganda que a disputa consegue produzir e na tendência de partidos e marketeiros gastarem cada vez mais dinheiro com campanhas em mídias sociais.















O primeiro anunciante confirmado é o republicano Mitt Romney, mas muitos outros devem ser confirmados nos próximos meses. O Twitter afirma que fará pequenas modificações no design dos pedidos por votos, para que eles não sejam confundidos com tweets comuns e nem sejam iguais aos Promoted Tweets, mensagens publicitárias de empresas inseridas obrigatoriamente na linha de atualizações.

A empresa afirmou que quando o usuário passar o cursor por cima da mensagem política será aberta uma janela pop-up dizendo quem pagou pelo anúncio. Outro diferença é que, por enquanto, eles não aparecerão nas buscas (ao contrário dos tweets de empresas). Políticos também poderão entrar nos programas ‘Promoted Account’ (conta promovida), ganhando preferência no sistema de indicação de perfis, e em ‘Promoted Trends’ (tendência promovida), aparecendo no topo da lista de tendências.

Fonte: Link

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Google descarta fusão entre Orkut e Google+

Ventos mais favoráveis já guiaram o Google pelo segmento de redes sociais. Soberano durante anos no Brasil, o Orkut perdeu esta semana o posto para o Facebook e viu o modelo de Mark Zuckerberg atropelar o que um dia já foi febre. O formato que doutrinou os brasileiros quanto a relacionamentos na internet havia perdido o diferencial. Aí a saída foi se mexer.















Os esforços reveleram que o Google preparia algo para surpreender, o que se traduziu no lançamento do Google+. Anunciado como o coelho que saía da cartola, a ideia foi oferecer a socialização como diferencial, apelo que chamou a atenção. Aos olhos da mídia e de especialistas surgia ali um provável concorrente à altura do Facebook. Mas, três meses após o nascimento, o projeto perde fôlego e experimenta debandada lenta, porém constante, de seu público.

Seria então a hora ideal para o Google unir um ao outro e formar um terceiro projeto mais forte? Não, segundo o diretor de engenharia da empresa, James Whittaker. Em São Paulo para participar do Developer Day, evento destinado a programadores, o representante rechaçou qualquer possibilidade de fusão. Sustenta que os produtos têm propostas diferentes e, por isso, cada equipe segue focada em seu respectivo projeto.

Apesar do tropeço do Orkut no Brasil, Whittaker ressaltou a popularidade da rede que fechou agosto com 28,8 milhões de usuários. "O Google está comprometido com ambas as redes e continuará inovando no Orkut e no Google+", afirmou. A companhia não quer correr o risco de se distanciar da legião de seguidores.

Whittaker não teme a migração dos usuários do Orkut para redes como Facebook ou o próprio Google+. Ele disse confiar "na habilidade da equipe para continuar desenvolvendo um produto atraente."

Fonte: AdNews

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Redes sociais disparam como a maior devoradora de tempo online nos EUA

Uma nova pesquisa mostra que os americanos estão cada vez mais obcecados com os sites de redes sociais. O Facebook, por exemplo, toma mais tempo das pessoas nos EUA que qualquer outro blog ou mídia social.


As redes sociais e os blogs ocupam boa parte do tempo que os americanos passam online. Eles respondem por quase 25% do tempo gasto na Internet, segundo o Social Media Report, relatório da empresa de pesquisas Nielsen sobre mídias sociais. O tempo que os usuários americanos de Internet gastam em redes sociais é pelo menos duas vezes maior que o dedicado a outra categoria bastante popular: jogar games online.

O Facebook é o destino preferencial de toda essa gente que busca redes sociais e blogs. A Nielsen informou que 140 milhões de pessoas visitaram o Facebook em maio, o que corresponde a 70% de todos os usuários ativos de Internet dos EUA. O Blogger, da Google, aparece em segundo lugar, com um distante número de 50 milhões de visitantes no mês. O Twitter vem em terceiro, com 23 milhões.

E não é só que mais pessoas usam o Facebook. Elas também gastam mais tempo por lá.

De acordo com a Nielsen, os usuários do Facebook gastaram 53,5 bilhões de minutos no site em maio. Compare com a Yahoo, onde os usuários gastaram 17,5 bilhões de minutos no mesmo mês, ou com a Google, que viu seus usuários ficarem por lá 12,5 bilhões de minutos.

Internautas novos
“Não me surpreendo em ver que as pessoas gastam 25% de seu tempo online em redes sociais”, disse Dan Olds, analista do The Gabriel Consulting Group. “As redes sociais têm-se tornado o foco online para muitos internautas novos – especialmente as pessoas mais velhas, que não utilizaram computadores extensivamente durante sua vida profissional.”

Olds está certo. A Nielsen informou que os usuários com mais de 55 anos são o grupo que mais cresce nas redes sociais. Contudo, as pessoas com idade entre 18 e 34 anos são o grupo mais ativo.

“Eu vejo que a rede social pode ter atingido o status de ‘killer app’ [aplicação matadora] à medida que atrai pessoas que nunca tinham utilizado a computação”, acrescentou Olds.

O informe, que foi divulgado nesta semana, também destaca que as pessoas usam cada vez mais sites como Facebook e Twitter enquanto estão fazendo compras.

Segundo a Nielsen, 70% dos internautas engajados ativamente em redes sociais compram online. Isso é 12% maior que a média entre os internautas adultos em geral.

“A popularidade da mídia social continua a crescer, conectando pessoas com praticamente tudo que observam e compram”, conclui o estudo. “Nos EUA, as redes sociais e os blogs alcançam praticamente 80% dos usuários ativos de Internet e representam a maior parte do tempo que os americanos passam online.”

E, ao mesmo tempo que os americanos permanecem conectados e compram online mais e mais, eles também utilizam aparelhos móveis. A Nielsen destacou que cerca de 40% dos usuários de mídia social acessam seus sites a partir de smartphones.

Veja abaixo as dez principais categorias que mais tomaram o tempo dos americanos na Internet, segundo o estudo da Nielsen.

1. Redes sociais e blogs – 22,5%

2. Games online – 9,8%

3. E-mail – 7,6%

4. Portais – 4,5%

5. Vídeos/filmes – 4,4%

6. Busca – 4%

7. Mensagens instantâneas – 3,3%

8. Fornecedores de software – 3,2%

9. Classificados/leilões – 2,9%

10. Notícias/atualidades – 2,6%

Fonte: IDG Now!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Facebook passa o Orkut no Brasil

Terá chegado ao fim o reinado do Orkut no Brasil? De acordo com a IstoÉ Dinheiro, sim. Uma reportagem da revista sobre as possibilidades empresariais no Facebook adianta números do Ibope que revelam a primeira inversão de papeis entre as duas maiores redes sociais do país.


Os dados ainda são incertos, mas o Facebook teria registrado cerca de 30 milhões de usuários no mês de agosto, enquanto o Orkut provavelmente ficou parado nos 28,8 milhões.

Em julho de 2009, como mostra a revista, a troca era praticamente inimaginável, pois o site do Google tinha 27,3 milhões contra apenas 4,2 milhões da concorrente. Já em setembro do ano passado as estatísticas ainda mostravam o Orkut tranquilo com 28,8 milhões e o Facebook subindo, com 14,4 milhões.

Os dois sites quase empataram em julho deste ano, quando o Orkut tinha 29 milhões e a rede social de Mark Zuckerberg, 28,8 milhões.

Fonte: AdNews

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

CEO do Google: O futuro está em tecnologias sociais

O chairman e CEO do Google, Eric Schmidt, afirmou que a tecnologia é como uma encruzilhada e que as próximas mudanças serão em torno de mobilidade, geolocalização e mídias sociais, e que se desdobrará para criar um ecossistema que seja verdadeiramente “real time”.


Durante a sessão de entrevista do keynote speaker do Dreamforce 2011, o CEO da Salesforce, Marc Benioff, pediu à Schmidt para detalhar o passado da indústria da tecnologia, o momento atual e onde estaremos no futuro e, de acordo com o CEO do Google, uma coisa e muito clara: ficar parado não vai fazer com que as coisas parem.

Schmidt relembrou seus dias na Sun, há quase duas décadas, onde jovens inovadores estavam desenvolvendo sistemas que hoje seriam chamados de cloud computing. “Nós estávamos certos há 15 anos, e apenas esperávamos pela tecnologia certa para terminar o processo”, afirmou o executivo, refletindo sobre as redes de computadores do passado.

Hoje, os sistemas são menos complicados e criam ecossistemas onde companhias não precisam mais gastar milhões de dólares e esperar por muitos anos para desenvolver novos ciclos de inovação para se sustentar. Cloud computing e tecnologias para mobilidade, segundo o executivo, têm “dizimado” esta ideia.

Para o CEO do Google, a tecnologia é envolvida em quatro fases: a primeira foi a conectividade básica, seguida pela conexão e publicação. Depois, a fase de aplicativos tomou conta do negócio e hoje a indústria está enraizada com a tecnologia social e pessoal.

Durante esse tempo em que está à frente das ações do Google, Schmidt disse que o entusiasmo e juventude são contagiantes e isso fez com que a inovação ocorresse mais rapidamente.

“O que eu gosto a respeito do Google, é que existe a sensação de tudo é possível, afirmou. “Hoje os sistemas se tornaram mais flexíveis, as mudanças podem ser efetuadas diariamente, com pequenas doses de dor de cabeça, uma mudança drástica em comparação aos anos que passaram. As empresas estão embarcando nos modelos dirigidos para os consumidores, e correndo junto a isso”.

“Muitas pessoas duvidaram que a computação na nuvem e os modelos de aplicação poderiam funcionar”, disse Schmidt, relembrando que essas pessoas chamavam essas tecnologias de “sistemas de brinquedo”. Mas empresas inovadoras tomaram a bola e correram em direção a essa meta, criando, por exemplo, os sistemas de localização e inteligência, que hoje influem diretamente na tomada de decisões.

“Nós podemos prever quando você vai ficar parado no engarrafamento…”, disse ele. “Você fala de tempo real. Hoje, realmente se trata de tempo real”.

E com o Android sendo ativado por dia em cerca de 550 mil smartphones, a fome pelo novo modelo de tecnologia cresce, afirmou o CEO. Só para lembrar, o Google recentemente adquiriu a Motorola Mobility, negócio que espera ser finalizado nos próximos meses, o que deu à gigante das buscas o componente de hardware que a companhia precisava para conter o ciclo completo de desenvolvimento de mobilidade, além de acrescentar um vasto número de patentes para dar continuidade aos planos de mobilidade da corporação.

A revolução da mobilidade, juntamente com outras maciças mudanças criadas por mentes inovadoras como Steve Jobs, que renunciou ao cargo de CEO da Apple no final do mês passado, levantou e mexeu com os alicerces da indústria, mostrando que novos modelos sempre serão possíveis. Schmidt chamou a performance de Jobs à frente da Apple como a mais importante dos últimos 50 anos; e ele fez isso duas vezes.

“É uma das raras companhias que se mudaram para novas plataformas e deram certo”, afirmou. Quando foi questionado sobre o motivo do qual Steve Ballmer, CEO da Microsoft, não consegue ter a mesma mão que a Apple teve, Schmidt respondeu simplesmente que se trata de “capacidades diferentes”, dizendo que a fabricante do Windows traçou um modelo de negócios de controle e licenciamento que não começou voltado para o consumidor, enquanto a Apple foi direto ao usuário final e as empresas foram atrás desta onda.

Agora, inovadores como o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, estão liderando os novos caminhos e pavimentando-o para uma nova gama de inovadores. E para cada grande líder hoje, um novo certamente irá surgir.

“Eles vão mudar o mundo”, afirmou o CEO, acrescentando “Eu estou muito entusiasmado sobre o que a próxima geração de companhias poderá desenvolver sobre as plataformas existentes”.

Fonte: CRN Brasil

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Facebook e Twitter batem recorde de acessos

Em julho o Facebook e o Twitter tiveram recorde de acessos nos Estados Unidos. Levantamento realizado pela comScore mostra que o site de Mark Zuckerberg registrou 162 milhões de visitas únicas no período, enquanto a rede de microblogs, 32,8 milhões.



No mês passado o Facebook tinha ficado com 160,8 milhões de visitas únicas nos EUA, já uma alta em relação aos 157,2 milhões de maio. A mesma coisa aconteceu com o Twitter e os 30,6 milhões apresentados em junho e os 27 milhões de maio.

Ao divulgar a pesquisa, o TechCrunch destacou esta como uma ótima notícia para o Twitter, uma vez que os números da comScore não contabilizam os acessos via aplicativos. Grande parte dos usuários não acessa o site diretamente e ainda há os que só o fazem via aparelhos móveis.

Depois de experimentar uma alta pós-oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), o LinkedIn desacelerou, indo de 33,9 milhões de visitantes únicos em junho para 32,5 milhões em julho. Já o MySpace continua o declínio, tendo passado de 33 milhões para os atuais 32,8 milhões – o que o coloca em pé de igualdade com o Twitter.

Fonte: AdNews

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Facebook BR e Google+ têm o mesmo tamanho

O número de usuários brasileiros do Facebook e o número total da Google+ é praticamente o mesmo.



Esta semana, durante cerimônia que marcou a inauguração do escritório do Facebook no Brasil, o vice-presidente da empresa para América Latina, Alexandre Hohagen, confirmou que o número de usuários brasileiros cadastrados na rede social chegou a 25 milhões.

De acordo com Hohagen, a migração de usuários do Orkut para o Facebook e o sucesso do filme The Social Network, longa vencedor de três Oscars, ajudaram a acelerar a expansão do site no Brasil. Curiosamente, o filme faz um retrato negativo do criador da redeLink, Mark Zuckerberg, acusado de copiar ideias de terceiros para criar sua companhia bilionária.

O número é o mesmo que a nova de rede social do Google, a Plus, atraiu durante o mês de julho, em todo o mundo, segundo a comScore.

Embora os dados mostrem que a última tentativa do Google de entrar para o mundo das redes sociais tenha começado com força, isso não significa que o projeto será um sucesso a longo prazo. A Google+ desperta a curiosidade dos usuários, porém, eles pouco retornam ao serviço após o contato inicial.

Segundo a comScore, a Plus teria cerca de 780 mil usuários brasileiros.

Fonte: Info

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Posts do Facebook serão ligados a páginas automaticamente

Depois de transformar os "Likes" dos usuários em propaganda, o Facebook vai fazer algo parecido com os comentários dos usuários. Uma das atualizações da News Feed que já entraram em funcionamento usam comentários sobre páginas como divulgação, mesmo que o internauta não queira.


Quando várias pessoas escrevem no mural de outra por conta de seu aniversário, o Facebook agrupa aquilo e mostra que "fulano e X outros amigos escreveram no Mural de sicrano pelo aniversário dele". A mesma coisa passa a acontecer com páginas de empresas, marcas, personalidades etc.

Atualmente, quando alguém quer falar de uma empresa, por exemplo, ela relaciona a página correspondente com o uso do @. Com o novo recurso, chamado de "Posted About", mesmo que o usuário não faça o link, o Facebook ligará seu post à página. O artifício deve ajudar as marcas citadas a conseguirem mais fãs, mas também há a possibilidade de que elas passem a receber mais críticas.

O formato é semelhante ao dos aniversários, com a diferença de ser mostrado como "fulano e X outros amigos postaram sobre [alguma página]". O Inside Facebook mostrou dois exemplos da novidade, um com mensagens sobre o iTunes e outra, sobre Jesus - sendo que no último caso, uma usuária critica o recurso questionando se o Facebook também agrupará mensagens sobre gatos ou cerveja.

Fonte: AdNews

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Nova mudança no Twitter o deixa mais social

O Twitter anunciou novos recursos nessa quarta-feira, 10, que tornam o serviço de microblogs mais social. Agora é possível saber mais facilmente quando alguém favorita ou retuíta as mensagens e, também, ver quais tweets dos seguidores são mais "interessantes e inspiradores".



Nos dois casos, foram criados novos tópicos no menu superior, "@usuário" e "Atividade", que se juntarão aos já existentes "Histórico", "Buscas" e "Listas". Eles entram em substituição ao "Menções" e ao "Retweets".

O primeiro mostrará uma série de informações: quando pessoas escrevem diretamente para o usuário, quando marcam tweets dele como favoritos, quantos retuítam, quantos seguidores novos o usuário tem e, ainda, a quais listas foi adicionado. Já o outro recurso mostra praticamente as mesmas coisas, só que das pessoas seguidas pelo usuário.

Fonte: AdNews

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Em um ano, Google+ pode ultrapassar Twitter nos EUA

O Google+ pode ultrapassar o Twitter e o Linkedin e se tornar a segunda rede social mais popular nos Estados Unidos, atrás somente do Facebook, segundo pesquisa da Bloomberg / YouGov.


Atualmente, 13% dos adultos estão cadastrados na rede social e estima-se que em 2012 o número salte para 22%. O serviço ganhou cerca de 25 milhões de usuários em todo o mundo em menos de um mês, de acordo com a ComScore, contra 750 milhões de usuários ativos do Facebook.
"Google + está traçando um caminho semelhante ao crescimento inicial do Facebook ", disse Michael Nardis, diretor de produtos de investimento YouGov, em comunicado sobre a pesquisa.

Fonte: Adnews

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Brasil e Índia são os países onde o Facebook mais cresce

O Brasil e a Índia foram os países que mais cresceram no Facebook em julho, segundo relatório divulgado nesta terça-feira pela Social Bakers. De acordo com o estudo, a Índia foi o país com o maior aumento de usuários, com mais de 2,5 milhões de pessoas ingressando na rede, seguido pelo Brasil, com mais de 2,1 milhões de novos membros.



O crescimento percentual, no entanto, foi maior no Brasil, de 9,97%, deixando o País com mais de 23,3 milhões de usuários, contra um aumento de 8,54% na Índia, que tem mais de 32 milhões de membros. "Apesar do Orkut ainda ser o líder no Brasil, o Facebook está ganhando espaço rapidamente", diz o relatório.
Link
O Facebook ganhou 14 milhões de usuários em todo o mundo em julho. De acordo com a Social Bakers, o Facebook tem uma penetração em 11,61% da população brasileira e em mais de 30,75% da população online. Nos Estados Unidos, país com maior penetração na rede social, quase 50% da população tem cadastro no site.

Fonte: Terra

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Twitter vale US$ 8 bilhões

O Twitter confirmou em 01/08 que levantou um “montante significativo de capital” que os executivos esperam utilizar para expandir o alcance do site.

A companhia notou, em post no blog oficial, que o valor foi levantado pela empresa venture DST Global, além de também ter contado com vários investidores. Apesar de o microblog não ter especificado a quantia levantada, o site All Things Digital informou recentemente que o Twitter estava trabalhando para levantar cerca de 800 milhões de dólares.

O site filiado ao WSJ também noticiou que metade desse valor será usado para pagar investidores e funcionários atuais.

“Vamos usar esses recursos para inovar de maneira agressiva, contratar mais ótimos funcionários e investir em expansão internacional”, afirmou o Twitter.

Dessa forma, o Twitter, assim como o Facebook, posterga a abertura de seu capital. Embora companhias importantes do setor como Zynga, de jogos online, e LinkedIn tenham lançado suas ações na bolsa este ano, as duas redes sociais mais importantes do mundo têm evitado dar esse importante, e inevitável, passo.

Um analista da Gabriel Consulting Group, Dan Ods, notou que esse é um evento importante para o Twitter. “Se o valor de US$ 800 milhões estiver correto, ele valoriza a companhia em cerca de 8 bilhões de dólares”, disse. “Isso é mais do que o dobro do valor que eles tinham há menos de um ano.”

Olds também notou que o Twitter faz referência a aumentar seu alcance, o que pode significar qualquer coisa entre aumentar sua infraestrutura de TI até aquisições estratégicas.

“Uma coisa que isso faz definitivamente é aumentar a pressão nos gerentes para surgirem com um modelo de negócios que possa arrecadar lucros suficientes para suportar esse valor de US$ 8 bilhões da companhia”, adicionou. “Agora, estima-se que os rendimentos estejam na casa dos US$ 200 milhões, que não é nem de perto suficiente para justificar um valor de 8 bilhões de dólares. Eles não descobriram como converter melhor sua enorme base de usuários em uma mercadoria vendável.”

No entanto, o Twitter usou o post de ontem para apontar seu momento de crescimento.

“O Twitter continua a crescer no mundo todo a um ritmo recorde”, notou o post. “Há apenas um ano, entregávamos 65 milhões de tuítes por dia. Atualmente, geramos mais de 200 milhões. Há um ano, existiam cerca de 150 mil apps do Twitter registrados. Agora, há mais de um milhão de softwares que se conectam ao Twitter.”

O site também notou que sua equipe de funcionários cresceu de 250 mais de 600 pessoas no último ano.

Por maior que seja seu crescimento, o portal ainda procura maneiras eficientes de exibir publicidade sem importunar os internautas, elevando, assim sua renda com propaganda. Para este ano, planeja arrecadar 150 milhões de dólares, bem menos, portanto, que a expectativa do Facebook: 4 bilhões de dólares.

Fonte: IDG Now!